Browsed by
Categoria: Marketplaces

Como funciona a troca e a devolução na Via Varejo (CNOVA)? ?>

Como funciona a troca e a devolução na Via Varejo (CNOVA)?

ATENÇÃO! Esse post é voltado para lojistas que VENDEM na Via Varejo (CNOVA) para entender como funciona o processo de troca e devolução. Se você COMPROU um produto e quer trocar, indicamos entrar em contato com o CANAL OFICIAL da loja que você comprou. As lojas da Via Varejo são: Casas Bahia e Ponto Frio.

Voltamos com a nossa série que explica melhor como funciona a troca e a devolução em cada marketplace, quais as responsabilidades de cada parte envolvida e regras que precisam ser seguidas para que ninguém saia prejudicado caso algo de errado ocorra com a compra.

Leia Mais… Leia Mais…

Compartilhe esse artigo:
Como funciona a troca e devolução na DAFITI? ?>

Como funciona a troca e devolução na DAFITI?

ATENÇÃO! Esse post é voltado para lojistas que VENDEM na Dafiti para entender como funciona o processo de troca e devolução. Se você COMPROU um produto e quer trocar, indicamos entrar em contato com o CANAL OFICIAL da Dafiti: https://www.dafiti.com.br/perguntas-frequentes

Voltamos com a nossa série que explica melhor como funciona a troca e a devolução em cada marketplace, quais as responsabilidades de cada parte envolvida e regras que precisam ser seguidas para que ninguém saia prejudicado caso algo de errado ocorra com a compra.

Leia Mais… Leia Mais…

Compartilhe esse artigo:
Como funciona a troca e a devolução no WALMART? ?>

Como funciona a troca e a devolução no WALMART?

ATENÇÃO! Esse post é voltado para lojistas que VENDEM na Walmart para entender como funciona o processo de troca e devolução. Se você COMPROU um produto e quer trocar, indicamos entrar em contato com o CANAL OFICIAL da Walmart: https://www.walmart.com.br/atendimento/

Comprar online trouxe muita comodidade e conveniência tanto para os clientes quanto para os lojistas, que hoje em dia possuem diferentes opções para colocar seus produtos no varejo, uma delas é através dos marketplaces. Entender bem a política de troca e devolução de cada um desses canais é muito importante na hora de realizar vendas online, tanto para o consumidor final quanto para o seller.

Hoje começamos uma série para explicar melhor como funciona a troca e a devolução em cada marketplace, quais as responsabilidades de cada parte envolvida e regras que precisam ser seguidas para que ninguém saia prejudicado caso algo de errado ocorra com a compra.

Leia Mais… Leia Mais…

Compartilhe esse artigo:
O dia das mães está chegando: aproveite essa data como foco das suas vendas em Maio ?>

O dia das mães está chegando: aproveite essa data como foco das suas vendas em Maio

O dia das mães sempre acontece no segundo domingo de Maio, e já se tornou uma das principais datas para o varejo. Segundo dados do E-bit, no comércio eletrônico essa data gerou um faturamento de R$ 1,6 bilhão em 2016. Foram mais de 4 milhões de pedidos com tíquete médio de R$ 402. Para os clientes do ANYMARKET houve um aumento de 19% no número de pedidos durante a quinzena anterior à data no ano passado.

Leia Mais… Leia Mais…

Compartilhe esse artigo:
Entenda as diferenças entre os marketplaces para ter mais sucesso em suas vendas ?>

Entenda as diferenças entre os marketplaces para ter mais sucesso em suas vendas

Estar presente nos marketplaces é hoje essencial para qualquer e-commerce. Além de serem portas de entrada para lojas virtuais, esses grandes shoppings online carregam um grande nome e por isso podem ser a melhor solução para conseguir aumentar as vendas online.

Para decidir em qual marketplace entrar é preciso ter claro quais as especificidades de cada um deles e também quais são as regras que precisam ser seguidas, assim como responsabilidades e direitos.

O ANYMARKET possui integrações com diversos marketplaces como Cnova, B2W, Walmart, Mercado Livre, Netshoes, Dafiti, Kanui e Tricae e não existem regras únicas adotas por todos eles. Cada marketplace ou grupo de marketplaces adota seu próprio modelo, porém a maioria possui regras próximas como tempo mínimo de operação, avaliação em empresas como E-bit e Reclame Aqui, além do registro formal que envolve inscrições estaduais e CNPJ.

Leia Mais… Leia Mais…

Compartilhe esse artigo:
Como evitar que sua loja seja suspensa dos marketplaces ?>

Como evitar que sua loja seja suspensa dos marketplaces

Você está trabalhando com marketplaces, suas vendas estão indo bem e de repente você é surpreendido com um comunicado do marketplace que sua loja foi suspensa por não ter atingido os critérios mínimos estabelecidos pelo canal. Com isso você vê uma parte do seu faturamento indo embora.

Para evitar esse tipo de problema, seguem algumas dicas simples que irão ajudá-lo a manter uma boa reputação como vendedor nos marketplaces.

Uma dica geral é estar atento às regras do seu contrato ou termos de uso. Muitas pessoas simplesmente assinam o contrato e não se dão conta de que existem muitas obrigações que precisam ser cumpridas pelos lojistas. Os contratos preveem regras que devem ser gerenciadas, medidas e controladas e toda equipe precisa estar bem informada sobre essas regras e como a empresa está em relação a elas.

Leia Mais… Leia Mais…

Compartilhe esse artigo:
Vantagens dos marketplaces para pequenos lojistas virtuais ?>

Vantagens dos marketplaces para pequenos lojistas virtuais

Engana-se quem acredita que os marketplaces são uma alternativa que beneficia apenas grandes empresas de e-commerce. Pelo contrário: pequenos lojistas podem encontrar uma série de vantagens ao atuar nessas plataformas.

Embora seja um desafio para os pequenos empreendedores, atuar em um canal de grande visualização pode ser o diferencial para que a empresa conquiste espaço no mercado e comece a crescer.

A seguir, você conhece algumas das vantagens dos marketplaces para pequenas empresas e lojistas virtuais. Confira!

1. Estrutura pronta

Para começar, atuando em marketplaces os pequenos empreendedores de e-commerce não precisam se preocupar imediatamente com o desenvolvimento de uma plataforma própria. O marketplace vai oferecer uma estrutura completa, já testada e em pleno funcionamento para atender a todas as necessidades do lojista.

2. Aliar-se a uma marca reconhecida

Você tem o produto que o consumidor procura mas ele hesita em comprar por não conhecer a sua empresa? Os marketplaces acabam com esse problema. Essas plataformas já são gigantes do e-commerce e têm seus nomes reconhecidos e marcas consolidadas. Por serem empresas familiares para o consumidor online, as dúvidas relacionadas à segurança de compra são praticamente inexistentes.

3. Alcançar um maior número de clientes

Se os marketplaces são marcas consolidadas, é natural que eles atraiam um volume de clientes muito maior do que um pequeno lojista virtual atrairia em seu próprio site. Muitos consumidores começam a sua busca na hora de comprar online pelos marketplaces, o que aumenta as chances de venda.

Os marketplaces do grupo Cnova recebem mais de 13 milhões de visitas mensais, os do grupo B2W somam mais de 19 milhões e o Mercado Livre atrai, sozinho, mais de 27 milhões de visitantes por mês. Atuando nessas plataformas, seus produtos ficam expostos a todas essas pessoas; o que é, também, uma oportunidade de deixar a sua marca mais conhecida.

4. Otimizar recursos

Para pequenos lojistas, a otimização de recursos é uma vantagem arrebatadora nos marketplaces. Com a estrutura oferecida pelas plataformas, é possível otimizar recursos financeiros, de equipe e de tempo.

Trabalhando com um Hub de integração, como o Hub ANYMARKET, a otimização fica ainda mais marcante, com a automação de operações de estoque, precificação, cadastro de produtos e logística de vendas. Assim, uma equipe reduzida consegue dar conta de todas as atividades do negócio.

Conheça nossas funcionalidades e invista na otimização de vendas em marketplaces!

Compartilhe esse artigo:
Case Walmart: estratégia para inspirar suas campanhas de Natal ?>

Case Walmart: estratégia para inspirar suas campanhas de Natal

Na ânsia por criar campanhas de Natal memoráveis que chamem a atenção dos clientes, muitas empresas buscam por soluções grandiosas e investem muito de seu capital em ações de marketing. Porém, não são só grandes gestos que podem ajudar a transformar o desempenho de um lojista virtual nas festas de final de ano – um ótimo exemplo disso é o case Walmart.

O Walmart é um gigante do universo do varejo. Com atuação em diversos países do mundo, a marca tem um nome forte e é conhecida por dominar uma importante fatia do mercado de vendas online e offline. Mas, foi uma ideia aparentemente simples que impulsionou o número de vendas virtuais da empresa no Natal de 2014.

Visando melhorar a experiência de compra dos usuários, o Walmart criou uma página especial para a campanha de Natal. O objetivo da página era fornecer aos consumidores recomendações de presentes de forma otimizada. Para isso, a empresa lançou o “Gift and Toy Finder”, uma ferramenta de busca detalhada que pesquisava produtos no e-commerce conforme a necessidade do consumidor.

A percepção da melhoria no desempenho de vendas com esta experiência fez com que a equipe da empresa desenvolvesse um estudo para observar o comportamento dos usuários em relação à ferramenta de busca. Através de um mapa de calor, identificou-se problemas enfrentados pelos usuários na navegação, o que permitiu encontrar soluções técnicas e de usabilidade.

O resultado foi muito positivo: com a melhoria da interação dos usuários com a ferramenta de busca, as vendas aumentaram 24%.

walmart-case-campanhas-de-natal

Embora apostar na otimização da experiência de compra do consumidor promovendo melhorias no site não seja uma novidade no universo do comércio eletrônico, ações como essa nem sempre são colocadas em prática.

Investir em um site preparado para oferecer compras práticas e rápidas aos consumidores é algo que faz toda a diferença – especialmente em épocas de alta demanda, como o Natal. Encontrar formas de recomendar produtos neste período também é uma estratégia de ouro para impulsionar as vendas, auxiliando aqueles que entram na loja ainda sem saber o que comprar.

Neste cenário, investir em marketplaces, como o próprio Walmart, é uma grande vantagem: afinal, essas plataformas já trabalham com essas técnicas e melhorias, deixando os produtos de cada seller ainda mais atrativos.

Ainda não vende em marketplaces? Não perca mais tempo! Baixe o nosso e-book gratuito e saiba como alcançar o sucesso atuando nesses canais.

finalizar a compra no e-commerce

Compartilhe esse artigo:
Primeiros passos para o planejamento 2017 nos marketplaces ?>

Primeiros passos para o planejamento 2017 nos marketplaces

Com um novo ano inteiro pela frente, é hora de se despedir de 2016 e abrir caminho para dias ainda melhores. E, para o lojista virtual, este é o momento de começar a pensar no planejamento 2017 nos marketplaces.

Os marketplaces são canais de venda com grande potencial de vendas e alto nível de competitividade. Por isso, estar sempre armado com as melhores estratégias para se destacar, atrair consumidores e fidelizar clientes é fundamental.

Para estar com tudo preparado para o ano novo, é preciso organizar-se com antecedência: planejamento leva tempo e exige atenção e pesquisa. Encarar a agenda vazia é desafiador, mas algumas medidas práticas podem ajudar na estruturação de estratégias de sucesso para cada um dos meses futuros.

Confira os primeiros passos para o planejamento 2017 nos marketplaces e comece a se organizar!

1. Faça uma avaliação de 2016

Antes de começar a pensar em 2017, pare para avaliar como foi o seu 2016. Verifique como foram suas vendas em cada marketplace: número de pedidos, produtos mais vendidos, datas com maior demanda.

Os resultados da avaliação são fundamentais para começar a traçar o novo planejamento. Essa análise vai te ajudar a identificar que estratégias funcionaram melhor, quais são os principais pontos a serem melhorados e problemas a serem resolvidos.

2. Defina metas e objetivos

Para pensar em ações, é preciso, primeiro, saber que objetivos você deseja alcançar. Coloque no papel quais são suas metas para o ano – tanto em âmbito geral quanto de forma específica para cada canal de venda.

Lembre-se que é importante estabelecer metas possíveis, reais e mensuráveis. Portanto, defina metas quantificáveis e já pense em como você poderá medir os resultados de cada objetivo.

3. Revise seus anúncios e estratégias de precificação

Seus anúncios são atrativos? Como está seu posicionamento dentro dos marketplaces? O que é possível fazer para entrar ou permanecer na buy box? Pensando em tudo isso, revise seus anúncios em cada plataforma: títulos, descrições, imagens, preços. Respeite as características específicas de cada marketplace e trabalhe em melhorias.

Nesta etapa, você já conhece seu desempenho em 2016 e sabe também que metas pretende alcançar. Portanto, atente-se para revisar anúncios e preços para cada marketplace também levando em conta essas informações.

4. Fique de olho nas datas importantes

Em um planejamento anual, saber quais datas são importantes para criar campanhas e ações promocionais é imprescindível – especialmente em um ambiente competitivo como o marketplace.

Anote grandes datas comemorativas, como Dia das Mães e Black Friday, e outras datas que podem ser importantes para o seu nicho. Não se esqueça também de ficar atento para eventos especiais para cada marketplace, como os meses de aniversário ou de aumento de vendas.

5. Conte com uma ferramenta de integração

Se você ainda não conta com uma ferramenta de integração de marketplaces, é hora de investir! Dessa forma, você tem o que precisa para gerenciar pedidos, estoque e atendimento em uma única plataforma.

A integração é uma aliada valiosa para deixar o gerenciamento de vendas mais ágil e prático. Economizando tempo em tarefas como o cadastramento de anúncios e atualização de estoque, você pode se concentrar em desenvolver campanhas e estratégias de venda, deixando o planejamento 2017 nos marketplaces muito mais dinâmico.

O Hub ANYMARKET te ajuda a ter mais tempo para planejar um 2017 incrível nos marketplaces! Solicite uma demonstração gratuita e descubra como a ferramenta pode te ajudar a se destacar no ano novo!

CTA-MARKETPLACE-DEMONSTRACAO-ANYMARKET

Compartilhe esse artigo:
Por que vender nos marketplaces? ?>

Por que vender nos marketplaces?

Acesse o artigo publicado originalmente no E-commerce Brasil.

Vive-se a era digital, dos desafios tecnológicos e alinhamentos de estratégias ligadas à combinação dos mundos físico e virtual. Hoje, por exemplo, precisava comprar lentes de contato e fui verificar o preço em uma loja física e o valor da caixa com três pares de lentes era de R$110,00. Em seguida, entrei no Google e buscando o preço na Internet, encontrei o mesmo produto da mesma marca em Marketplaces e E-commerces por R$67,45 e ainda com frete grátis.

Isso mesmo, R$42,55 mais barato, ou seja, 38,68% a menos no mundo virtual do que no físico. E aí, qual decisão você tomaria?

Como encontrei o mesmo produto pelo mesmo preço tanto em um e-commerce quanto em um marketplace, optei por comprar no marketplace. Mas aí você pode me perguntar: “por que, Nôga?” O porquê é simples: me senti mais segura comprando do marketplace. Conheço várias pessoas que fazem o mesmo. Costumo só comprar direto do e-commerce quando já comprei dele no marketplace e tive uma boa experiência de compra.

Diante disso, resolvi trazer para você: lojista que possui um e-commerce, loja física, indústria ou distribuidora e está pensando em aliar estratégias físicas e online as principais vantagens de se vender nos marketplaces:

Credibilidade: os Marketplaces são nomes conhecidos do varejo e proporcionam credibilidade para os lojistas e consequentemente confiança do consumidor no processo de compra;

Clientes para seu e-commerce: uma vez que o cliente teve uma boa experiência de compra de um lojista no marketplace, é provável que ele procure seu site, ademais o cliente é do lojista on-line e não do marketplace, sendo que estratégias podem ser trabalhadas para trazer o cliente para seu site, como por exemplo, envio de cupom de desconto junto ao produto para compra no e-commerce;

Boa Experiência online: os Marketplaces costumam investir em tecnologia de última geração, o que garante velocidade e alta disponibilidade do site, resultando em uma boa experiência de compra on-line para o cliente;

SEO: os Marketplaces investem de modo massivo em marketing, google adwords, o que auxilia na otimização do SEO da sua empresa;

Aumento das Vendas: conheço vários lojistas que possuem 80% das operações voltadas para Marketplaces, visto que vende-se muito mais via Marketplaces do que E-commerces. Mas por quê? Devido aos pontos acima referendados pelos Marketplaces: Credibilidade, Boa Experiência, investimento massivo em Marketing e otimização do SEO.

Mas até agora só falei de prós para entrada de lojistas no marketplaces, vamos aos contras então. Os marketplaces cobram uma comissão para vendas dos produtos para oferecer os benefícios supra-citados, os quais precisam ser considerados na formação do preço de venda, além disso, ao ingressar em mais canais de vendas supõe-se mais vendas e consequentemente maior controle de estoque, vendas, notas fiscais, logística, que não podem ser negligenciados, pois são fatores críticos de sucesso na operação on-line.

Assim, é de suma importância estabelecer estratégias que lhe garantam resultados eficazes, pois quando não se sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve.

“Onde fica a saída?”, perguntou Alice ao gato, que ria.

“Depende”, respondeu o gato.

“De quê?”, replicou Alice;

“Depende para onde você quer ir…”

Desejo-lhe sabedoria e sucesso para a escolha das melhores estratégias para seus negócios!

Quer começar a vender nos marketplaces?
O primeiro passo é se cadastrar nos marketplaces que você deseja participar e fazer a contratação.
Abaixo estão os links de cada marketplaces:

Mercado Livre – http://www.mercadolivre.com.br/marketplace 
Cnova – http://marketplace.br.cnova.com/
B2W – https://www.bonmarketplace.com.br/
Walmart – https://marketplace.walmart.com.br/
Netshoes – http://www.netshoes.com.br/marketplace/
Grupo GFG (Dafiti, Tricae e Kanui) – http://marketplace.dafiti.com.br/

Compartilhe esse artigo: