Vender online. Se antes da crise, causada pelo COVID-19 já era algo que as empresas levavam em consideração e entendiam sua importância, hoje, com o cenário de isolamento, quarentena e tentativa de proteção a qualquer custo de um inimigo invisível, se tornou algo primordial para a existência da organização. Estar presente de maneira online, oferecendo seus produtos e serviços 

Entretanto, a dúvida na hora de entrar no ramo é certo. Apesar de se tratar de negócios, assim como um físico, o mundo online tem suas próprias peculiaridades e isso pode causar desconforto e medo para os empreendedores, que não conhecem ainda muito bem os pontos que merecem atenção.  

Por isso, o Canal de Parcerias do ANYMARKET em parceria com os parceiros da unidade, decidiu apresentar os cases de sucesso no mundo do marketplace e mostrar que independente da sua maturidade no mercado, você pode começar a vender online agora mesmo! 

Para isso, conheça a história da Stoned, uma empresa que foi criada por Rafael Wencel e hoje, é uma das marcas mais reconhecidas do mercado de vestuário sustentável.  

 

O COMEÇO DA HISTÓRIA 

Já trabalhando com mídias sociais antes, Rafael começou a planejar sua loja virtual ainda em 2012, pensando em como poderia usar a audiência das suas páginas para que seu negócio tivesse sucesso 

Foi assim, que em 2012, ele decidiu através de uma loja virtual, de plataforma Saas, desenvolver uma marca de vestuário com destaque para um detalhe bem interessante: produtos sustentáveis que eram feitos sob demanda.  

Os negócios começaram bem e a ideia da audiência foi extremamente criativa, porém, ele tropeçou em um problema que não conseguia prever antes do negócio começar: como controlar a matéria-prima e a produção das camisetas, assim como a entrada e saída de todos esses produtos? 

Rafael relata que no começo, usava um ERP mais simples, que conseguia dar conta do recado relativamente bem, porém, na medida que os negócios foram crescendo, ele teve que buscar alternativas mais robustas e por indicação da plataforma, ele conheceu o ERP que hoje, lhe atende muito bem: a Eccosys. 

Segundo Rafael, com a Eccosys, a Stoned conseguiu fazer todo o controle de matéria-prima e ainda, conseguiu medir os níveis de erro que aconteciam dentro da empresa e colocar esses produtos à venda, na loja que eles montaram na própria fábrica.  

Outro problema também começou a ser detectado: os produtos que estavam parados dentro da empresa. Depois de conseguir fazer um controle da produção, Rafael percebeu que tinham uma quantidade que estava parada e por consequência, perdendo dinheiro foi aí, que em 2015, os marketplaces surgiram na vida da empresa.  

 

UM CONVITE QUE RENDEU 

“Foi um convite”. Disse Rafael, quando começa a falar de marketplace. Segundo ele, a Kanui entrou em contato com a loja, por causa do tipo de produto que ele vendia e ele decidiu topar o desafio. Rafael conta que quando começou, não sabia nada de marketplace, não entendia muito bem a dinâmica do negócio, mas decidiu apostar, por ver que aquilo ali, podia ser um bom futuro.  

Segundo o lojista, “foi realmente surpreendente, porque conseguimos acabar com nosso estoque parado e ainda continuamos vendendo”.  

O que aconteceu com Rafael, acontece com muitos lojistas. Uma grande loja de acessórios automotivos entrou no Mercado Livre, no começo dos anos 2000 exatamente para tentar “desencalhar” algumas peças que estavam em seu estoque. Em algumas horas eles venderam tantas peças que tiveram que fazer um novo pedido.  

Foi a parti daí que a Stoned enxergou uma boa oportunidade, decidiu abrir seus horizontes e ampliar os canais de venda da empresa.  

 

UM PROBLEMA COM A MULTICANALIDADE 

No final de 2018 para o começo de 2019, a empresa decidiu abrir novos canais de venda e começar a vender em outros marketplaces, começava aí um novo problema, a gestão de todos os canais e o controle de estoque em todos eles.  

Por conta deste problema, Rafael conta que eles tiveram que parar as vendas nesses canais, que começavam a ir muito bem, e pensar em como melhorar a estratégia para evitar um problema maior no futuro. Foi nesse momento que o ANYMARKET entrou na vida da Stoned, por indicação da Eccosys 

Segundo Rafael, a parceria entre a Eccosys e o ANYMARKET ajudou muito mais que apenas organizar a gestão de seus negócios nos marketplaces, mas também o ajudou a entender um pouco mais da dinâmica dos marketplaces e como se planejar para alcançar seus objetivos dentro desses canais.  

“Eu tentei outros hubs, mas infelizmente, eles não conseguiram acompanhar a complexidade do meu negócio. Porém, depois de conectar a Eccosys ao AYMARKET e depois entender a dinâmica do negócio, as vendas voltaram a subir e hoje, representam em torno de 20% das vendas totais do negócio todo!” 

Um tempo depois e a empresa já estava em pleno funcionamento, mais uma vez, dentro de outros marketplaces, sendo a Netshoes e a Kanui os principais canais de venda. Apesar de trabalhar com peças de vestuários mais casuais, Rafael relata que a Netshoes tem sido uma grata surpresa na venda de suas peças e por isso, pretende continuar investindo em outros canais do mesmo ramo, como a própria Centauro.  

 

OLHOS PARA O FUTURO 

Mesmo em meio à crise, a Stoned não parou. Apesar de ter suas vendas mais baixas no mês de março, Rafael coloca que a produção parou apenas por causa do isolamento, mas que as vendas estão os clientes estão e oferecer o que eles realmente precisam, o que realmente anseiam, o que realmente querem, mesmo que ainda não saibam disso. Crie a necessidade e sua loja venderá, independente do cenário econômico.” 

Ele acredita que as vendas, pósquarentena, irão aumentar, mesmo porque segundo ele, apesar de artigos considerados supérfluos, como roupas e calçados, terem caído nessa quarentena, quando as pessoas voltarem a sair, não abrirão mão do estilo e voltaram a consumir. 

Para o cenário do e-commerce, independente da crise, Rafael acredita que será de intenso crescimento. Segundo eles, essa quarentena está servindo, também, para as pessoas aprenderem a comprar online e por isso, ele acredita que após a sua passagem, as vendas online tendem a se manter no começo e depois aumentar com o decorrer do tempo.  

Além disso, ele vê um ganho na força dos marketplaces também, afinal, com a renda das pessoas diminuindo, por conta da crise financeira, elas tendem a comprar de lojas que acabam tendo um pouco mais de confiança e nisso, os marketplaces atuam de maneira forte e empoderada.  

 

DICAS PARA QUEM QUER COMEÇAR 

E se a Stoned começou há algum tempo, Rafael consegue vislumbrar um futuro para aquelas empresas que estão começando agora, em plena crise.  

Segundo o empreendedor, há grandes chances de crescimento, se você tiver um bom plano de negócio, um conhecimento mais aprofundado do segmento que pretende atuar e com certeza, um bom capital de giro são essenciais para se começar.  

Rafael ainda aconselha as empresas a atuarem em mais de um canal, mesmo no começo. Ele acredita que as lojas virtuais não devem ser abandonadas, pois é onde você faz suas próprias regras, mas que os marketplaces devem ser sim, uma das opções mais viáveis para o negócio, pois é de onde, inicialmente, suas vendas podem começar a sair, ainda mais em tempos de crise.  

E com relação ao Marketing Digital, ele é enfático: tenha diversos canais trabalhando para você, pois quando você deposita suas esperanças em apenas um canal de captação, você está sujeito às regras e penalidades desse canal.  

Como última dica, ele ainda deixa: “não permita que as empresas caiam na crença de que devem vender apenas em um lugar ou ainda, usar apenas uma fonte de captação de leads. As empresas devem estar onde seu público está, esteja em qual canal ele estiver! Conheça seu público e esteja onde ele estiver! 

Compartilhe esse artigo:

Comentários

comentarios