Embora seja um velho conhecido de quem tem site, o SEO (Search Engine Optimization), ou Otimização para Mecanismos de Busca, ainda é motivo de muitas dúvidas, principalmente quando se trata de SEO para e-commerce. Se este é o seu caso, continue a leitura e vamos guiá-lo por dicas que vão te ajudar a ter mais eficiência e resultado. 

Precisamos primeiro entender que a base do SEO é um conteúdo muito bem feito, e isso implica em dedicação e horas investidas nas descrições, títulos, palavras-chave e principalmente: conteúdos que gerem valor na loja e no seu blog.  

Buscadores se orientam para o consumidor, ou seja, tudo aquilo que ele otimiza e entrega, a forma como é desenvolvido, são de acordo com o comportamento do consumidor. Sendo assim, se seu e-commerce é orientado ao buscador, reveja! 

Também é necessário paciência: as alterações de SEO não refletem imediatamente no rankeamento, já que precisam ser lidas, indexadas e ganhar autoridade. Você começará a “sentir” o resultado em média de 6 meses a 1 ano após as otimizações. 

Tudo certo? Vamos as dicas! 

1- Tenha pessoas dedicadas ao SEO 

Um bom trabalho de SEO começa no código. Ou seja, no desenvolvimento e programação de seu e-commerce. No entanto, nem todos os desenvolvedores irão otimizar suas páginas para busca durante este processo, porque não são especialistas em SEO. Por isso, é importante que você ou alguém de sua equipe com conhecimento e domínio o direcionem, apontando quais modificações e inclusões devem ser realizadas durante a construção de sua loja virtual.  

2- Atenção para otimização on e off page 

A otimização on page diz respeito à parte estrutural, tudo aquilo que é feito dentro do e-commerce, para torná-lo amigável aos mecanismos de busca. Já a otimização off page são todas as ações que não se tem controle direto e realizadas fora da sua loja virtual, mas que você pode incentivar para que aconteça, como curtidas, compartilhamento de conteúdo e principalmente, a criação de links por sites que tenham boa autoridade e direcionem para conteúdos no seu site.  O grande erro está em se atentar apenas na otimização on page, quando ambos precisam de dedicação por igual. Trabalhe nisso! 

3- Defina seu objetivo: tráfego, branding ou venda 

A forma como você trabalhará o SEO em seu e-commerce, assim como em qualquer outro site, deverá levar em consideração seu principal objetivo. E lembre-se: mesmo que trabalhe todos simultaneamente, um deles deverá ter a prioridade, para que traga o resultado desejado. Você pode trabalhar o SEO voltado para aumento de tráfego, para marca ou venda. Cada um destes terá uma abordagem e recursos diferentes a serem utilizados. Com o objetivo definido, trace um plano de ação e mapeie tudo o que precisará ser otimizado: dos produtos às palavras-chave. 

4- De olho na concorrência 

No SEO para e-commerce, a concorrência vai além dos concorrentes de negócio que você já conhece: todos aqueles que apostam nas mesmas palavras-chave que sua loja virtual, mas aparecem primeiro e podem levar seu acesso, são seus concorrentes, independente se oferecem ou não o mesmo produto/serviço.   

Atenção também aos sitelinks dos seus concorrentes: eles são criados pelo buscador, que só os cria se entende que aquele conteúdo tem alta relevância. Veja com quais conteúdos seu concorrente se destaca, estude a estratégia, entenda como eles trabalham e que tipo de conteúdo gera, para então agir. 

   Sitelinks destacados no quadrante vermelho 

5-Atenção ao conteúdo e aos backlinks 

Em terra de SEO, conteúdo é rei! O buscador fará um paralelo entre a semântica da busca com o conteúdo da sua loja virtual e blog, para então retornar os resultados. Como falamos no começo do texto, os buscadores se orientam ao consumidor. Portanto, saiba o que e como seu consumidor busca, para que possa disponibilizar conteúdos que solucionem suas necessidades. A busca interna do seu e-commerce, que mostra o que os visitantes procuram e como procuram, ou o auto complete do Google podem trazer insights. 

Além disso, no SEO os conteúdos se relacionam por meio de links, e garantir bons backlinks também o ajudará no rankeamento: sites e blogs que mencionam seus conteúdos, linkando-os para o seu site, também transferem um pouco de autoridade. Suas páginas também podem gerar autoridade para outras páginas, com conteúdos que linkam para outros conteúdos próprios. 

6- Palavras-chave, palavras-chave, palavras-chave! 

Você deve escolher uma palavra-chave para cada URL do seu e-commerce. E aqui é preciso avaliar também o quanto ela funcionará para seu objetivo traçado. Sendo assim, se seu objetivo é a venda de um produto, quanto mais específica a palavra-chave for, menos concorrência terá e mais fácil indexará.  Palavras amplas, geram alta concorrência.  

Por exemplo, se você está vendendo um fone de ouvido, ao invés de definir sua palavra-chave como “fone de ouvido”, será mais eficiente definir como “fone de ouvido modelo x da marca y”. O volume de buscas é menor, mas a conversão é maior, visto que quem busca de forma específica, busca para comprar, não apenas pesquisa. 

Você deve se perguntar:  Quero 1.000 pessoas visitando meu produto e não comprando, ou 300 que visitem e comprem?  Para definir a palavra, pesquise a forma como os consumidores buscam por aquele produto. Procure sempre pela palavra com maior quantidade de buscas e menor concorrência possível. 

7- Descritivos, títulos, meta descriptions e fotos de produtos 

Nada de descritivos ou títulos duplicados! Até mesmo produtos que sejam únicos, com variação de cor ou tamanho, por exemplo, podem ser lidos como conteúdo duplicado. Para evitar este problema, configure canonical tags, que indicarão ao buscador qual o conteúdo principal que deve priorizar na indexação e/ou ler. Por exemplo: se há duas camisetas iguais, com descrições iguais, cores diferentes e em URL’s diferentes, escolha uma para ser sua principal e configure a canonical tag, para que o buscador dê a atenção a ela. 

Se revende produtos de outros fornecedores, evite copiar suas descrições e utilizar em sua loja virtual, para que não seja identificado e penalizado por plágio. 

Capriche na meta description: elas aparecem no resumo logo abaixo do título da página, que também deve ser pensado e otimizado para o SEO. As metas descriptions são fundamentais para que o consumidor decida em qual resultado clicar. Se o seu concorrente tiver um site pior, mas tiver uma meta description mais atraente, ele poderá ganhar o acesso. 

Nas fotos de produto e imagens em geral, descreva-as no nome do arquivo, correlacionando ao conteúdo daquela página específica. O buscador precisa ser capaz de ler e entender a imagem, bem como toda sua loja virtual. 

8-URL’s 

URL’s amigáveis são também a chave para o sucesso, e devem conter a palavra-chave destinada para a URL em questão.  Uma boa estrutura é a www.sualojavirtual.com.br/produto/nome-do-produto

Atente-se também sempre que realizar uma modificação de URL, garantindo que o redirecionamento 301 será feito e direcionará para o produto ou página corretos. Por padrão, os 301 tendem a jogar para home de seu site. É preciso configurá-los.  

Se sua loja tem as versões com www e sem o www, lembre-se de também solicitar o redirecionamento destes, evitando que sejam lidos como conteúdo duplicado. 

9- De olho no índice de qualidade 

O Índice de Qualidade (IQ) é determinado por uma série de fatores como o tráfego da sua loja virtual, performance da página (navegação, velocidade), engajamento, conteúdo, backlinks enviados por outros sites, entre outros. A experiência do usuário enquanto navega em suas páginas tem grande peso. Não basta apenas olhar para o SEO, é preciso olhar para as dificuldades que seu cliente pode enfrentar enquanto navega, indo além do olhar técnico, mas colocando-se como um consumidor comum. 

As otimizações são constantes e precisam ser revisitadas com frequência. Lembre-se principalmente: estar indexado não significa e nem garante que seu e-commerce estará rankeado. A indexação nada mais é do que sua loja virtual estar no banco de dados do buscador. É o rankeamento que o fará aparecer ao público. 

Combinadas, essas ações vão trazer autoridade ao seu domínio, popularidade ao seu e-commerce e subi-lo no ranking dos buscadores. 

Quer saber mais? Desenvolvemos um webinar completo em parceria com a APDWeb com dicas de SEO para Ecommerce + Estratégia de anúncios nos marketplaces, que você acessa aqui! 

Sobre a autora:

Sarah Priscila dos Santos é formada em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda pela UNIPAR e MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web pela Faculdade Pitágoras.

É Certificada em Inbound Marketing pela Hubspot e tem experiência em estratégias para crescimento de e-commerces, com a aplicação da metodologia Inbound. Atua na equipe de marketing da DB1, como Analista de Inbound Marketing para a unidade do ANYMARKET.

Compartilhe esse artigo:

Comentários

comentarios