Blog

Omnichannel: qual o valor dessa estratégia para minha empresa no longo prazo?

28 de junho de 2019 | Nenhum comentário

A estratégia de digitalização é um caminho sem volta às empresas do varejo. 

Digo isso pois o consumidor grande parte do tempo está conectado à internet e sua empresa deve ter uma estratégia de presença digital para que o mesmo possa interagir com a sua marca quando optar, independente da interface, seja ela via chat, e-mail, redes sociais, etc. 

A jornada do consumidor é composta por diversas etapas, inicia-se com a primeira interação que o cliente tiver com a sua loja, em seguida realiza-se a busca por alguns produtos e comentários, busca por cupons, comparação de preços, entre outros. 

 Isso não significa que ocorrerá nessa ordem, mas existem grandes chances de que o seu cliente passe por algumas dessas etapas até que ele efetue a primeira compra. 

Ao observar esse comportamento e ver que no Brasil apenas 4% das vendas do varejo são realizadas no e-commerce, podemos identificar algumas oportunidades e desafios para indústrias e empresas do varejo de diversos setores que optam pela adoção de uma loja virtual ou venda dos seus produtos em marketplaces focando sua estratégia em obter crescimento, por exemplo.

Empresa de moda regional com loja física

 A criação de uma loja virtual possibilita que o seu cliente tenha mais um canal para realizar as compras quando desejar, possibilitando um aumento nas vendas da sua empresa ao adquirir novos clientes os deixando engajados até que a primeira compra seja efetuada no seu site. 

 É importante lembrar que esses projetos devem ser executados de acordo com a realidade financeira de cada um e no mercado hoje existem diversas soluções e estratégias com empresas que atendem a sua realidade com através integrações disponíveis.

  Industria vendendo nos marketplaces 

 É possível disponibilizar todo o inventário de produtos em canais como Mercado Livre, Americanas.com, Amazon, entre outros. Para realizar esse processo, o lojista deve ter um contrato aprovado com o marketplace para que ele inicie a carga de produtos para validação e outras configurações exigidas. 

 Realizar todas essas etapas com um hub de integração é mais recomendado pois, ao conectar o seu ERP, por exemplo, com a API de um hub, você consegue disponibilizar todo seu catálogo de produtos e garantir que as informações de pedido, estoque e preço sejam atualizadas constantemente, o que traz mais eficiência para sua gestão. 

 Além disso, uma equipe prestará suporte durante a integração, e, depois de homologado, realizará a implantação dos marketplaces para garantir que os produtos transmitidos estejam ativos. 

 Vale lembrar que processos internos para realizar o picking desses produtos e envio ao cliente devem estar bem definidos, já que é um volume de vendas muito maior que o habitual, garantindo que os prazos sejam cumpridos e o cliente tenha uma boa experiência de compra, fator relevante para obter sucesso nesses canais.  

Diversas são as oportunidades e a maturidade do e-commerce brasileiro atualmente chegou a um estágio onde as empresas trabalham com um ambiente de crescimento no longo prazo. 

Case Omnichannel – Magazine Luiza e Renner 

 Essas empresas estão conseguindo realizar uma conexão do cliente que trafega pelo ambiente digital à loja física, permitindo que o mesmo faça compras no e-commerce e retire na loja. Isso facilita o contato do cliente com a marca e cria um potencial logístico a ser explorado ao permitir que a loja física se torne um centro de distribuição do e-commerce. 

 Existem também casos de empresas que nascem digitais e ampliam sua atuação para o mundo físico depois de um período, permitindo que o cliente vá até a loja, efetue a compra, e solicite a entrega em casa.  

No final, percebe-se que a experiência de compra é muito semelhante em todos os canais.   

E como isso pode gerar valor para minha empresa no longo prazo? 

Ao analisar a variação do preço da ação no tempo, temos os seguintes gráficos: 

Fonte: B3. Códigos: MGLU3 e LREN3. 

Exemplo 2

Fonte: B3. Códigos: MGLU3 e LREN3. 

Conclusão 

Percebe-se que essas empresas adquiriram certa consistência ao longo do tempo e hoje estão bem preparadas para disputar com empresas de qualquer porte no Brasil. 

A estratégia de mercado, cultura criada com os funcionários, o fomento à inovação e outros fatores podem ser citados, mas é fato que ao adotar estratégias unificadas, conectando o online e offline, a eficiência aumenta e é bem possível que você obtenha retornos consistentes no longo prazo.  

Sobre o autor 

João Vitor Matarucco é economista em formação pela Universidade Estadual de Maringá.

Faz parte da equipe de Parcerias do ANYMARKET, atuando como coordenador de parceiros reseller.

Se interessa por assuntos de tecnologia, comércio eletrônico e estratégia de mercado de capitais.

Compartilhe esse artigo:

Comentários

comentarios