No primeiro trimestre deste ano, os e-commerces brasileiros registraram aumento de 1% no faturamento em relação ao mesmo período de 2015, movimentando R$ 9,75 bilhões no período. O ticket médio subiu 7%, para R$ 399 e foram mais de 24,5 milhões de pedidos realizados pelos consumidores ao longo dos três meses (Dados: E-bit/Buscapé).

Para acreditar no potencial do e-commerce não existem mais barreiras. Os dados comprovam o crescimento acelerado do setor e os marketplaces vem junto nesta onda. 64% dos consumidores admitiram que iniciam a busca por novos produtos nos marketplaces por conta da confiança, diversidade de itens e revendedores.

Em média, 19% das ofertas do comércio eletrônico no país são feitas via Marketplace. A informação é de um estudo da Sieve, empresa especialista em inteligência de preços, realizado no mês de agosto de 2015, a partir de 60 sites, 504 sellers e analisando 305 mil URLs, mais de 1.500 marcas e mais de 53 mil produtos.

Integração com marketplaces é sinônimo de diminuição de custos para aumento de faturamento. O resultado deste aumento está normalmente entre 30% e 40%, tendo grandes variações de acordo com o setor, quantidade de marketplaces em que se atua e força de atuação. Além disso, a empresa ganha principalmente com a consolidação da marca no mercado gerando credibilidade.

Isto porque, para estar em um marketplace são necessários alguns requisitos básicos, variantes para cada e-commerce, como:

  • Ter um CNPJ
  • Não possuir nenhuma pendência com a Receita Federal
  • Entregar no Brasil inteiro
  • Ter uma equipe de SAC

Atuar em marketplaces é saber do ganho de todos os envolvidos: o marketplace recebe o percentual da venda, o lojista aumenta o tráfico e credibilidade e o cliente encontra tudo o que precisa em um só lugar pelo menor preço. Ainda não está integrado aos marketplaces? Temos um Hub que irá facilitar (e muito!) toda esta integração para você.

integração com marketplaces

Compartilhe esse artigo:

Comentários

comentarios