Blog

O2O – O Varejo e as Novas Estratégias

11 de outubro de 2019 | Nenhum comentário

Com as novas transformações do varejo online e as inúmeras oportunidades que vêm surgindo no decorrer dos últimos anos, uma estratégia que se destaca ainda mais e passou a ser aplicada principalmente a partir de 2019 é o chamado:  

O2O (Online-to-Offline) 

Brevemente, o O2O é a estratégia baseada em levar uma experiência de compras no mundo online (digital) para o mundo offline (físico). Como assim? 

Para ilustrar e facilitar o entendimento, O2O é a principal estratégia aplicada no Magazine Luiza atualmente, ou seja, o Magalu quer proporcionar uma experiência de compras em suas lojas físicas assim como já é conhecido no mundo online.

A possibilidade de utilizar, por exemplo, o Pick-up In Store (retirada em lojas) faz parte desse processo O2O aplicado nas grandes marcas do varejo físico e online. 

Mas é apenas uma ilustração, pois o O2O é muito mais que comprar online e retirar na loja física mais próxima do seu endereço! 

A influência do consumidor no O2O

O perfil do consumidor, principalmente falando de Brasil, ainda é muito diversificado, ou seja, muito provavelmente você conheça pessoas que ainda não confiam no varejo online.

Essas pessoas não são consumidores acostumados a comprar online, ou até mesmo têm preferência por ir até uma loja física para negociar com um vendedor e retirar o produto no ato da compra, passando por todos os setores da loja, pegando uma fila no caixa e aguardando uma pessoa ir até o depósito e buscar o seu produto. 

Mas você também sabe que a geração Y, ou mais conhecida como “Millennials“, é uma geração conectada. Eles adoram consumir produtos online e desbravar o mundo digital, fazendo compras no Brasil, na China ou outros países, e não gostam de perder tempo em se deslocar até uma loja. Só querem ter uma nova experiência de compras e receber os produtos em casa sem precisar ir até um ponto físico ou pegar filas. 

As gerações influenciam diretamente nas oportunidades para atender todos os públicos e criar uma boa experiência de compras. Temos que pensar no público conectado, e também naqueles que podem ter que avaliar o serviço, trocar produtos e conversar com um especialista na loja física.

Para ilustrar mais um pouco, peguei um quadro de figurinhas que pode ajudar a entender ainda melhor a base de uma estratégia O2O: 

Canvas do modelo de negócios O2O

E não estamos falando apenas de produtos, mas também de serviços que podem ser oferecidos complementando uma compra de produto. Um exemplo é a venda de um Ar Condicionado junto ao serviço de instalação do equipamento. Ou até mesmo, apenas a venda de um serviço, mas que você não precisa esperar uma pessoa ir até sua casa ou você se deslocar a uma loja para orçar o serviço, mas fazendo a compra online de um serviço offline

Empresas que estão investindo no O2O

  • Ifood – A Movile vem investindo forte no modelo, e já é comum a compra pelo aplicativo e a escolha de retirar no restaurante. 
  • Airbnb – A empresa já foi avaliada em + U$10 Bilhões, nada mais é que um serviço oferecido através de um APP onde o consumidor faz reservas de casas, quartos ou afins, de hospedagem. 
  • B2W Digital – Em 2018, lançou a startup LET’S para expandir seus modelos de distribuição e logística, o programa já integra as lojas físicas da Americanas em suas plataformas digitais, as bandeiras: Americanas.com, Submarino e Shoptime. Nesse modelo, cada loja é um seller. Possibilitando que qualquer loja física seja um seller no marketplace da B2W, com retirada do produto (estoque da loja) em até 1 hora após a compra online. 

E na onda do O2O, a B2W ainda tem a iniciativa em desenvolvimento e anunciada em 2018, o drop off loja, onde o serviço B2W Entrega disponibilizará um novo modelo de coleta de pedidos para os sellers do B2W Marketplace, que poderão postar seus produtos nas Lojas Americanas. 

Ficou claro agora, o que é uma estratégia O2O (Onnlineto-Offline)? 

Para fechar o tema, sem falar de varejo, tem um App bastante conhecido, mas que se pensarmos bem, também oferece uma experiência O2O: O Tinder

Positivas ou negativas, o Tinder oferece interações digitais em que o usuário pode marcar encontros pessoalmente e conhecendo pessoas que estão cadastradas no aplicativo e buscam experiências físicas. 

As empresas estão observando as transformações e a adaptação à essas mudanças ganham força, muitas vezes mudam o rumo dos negócios, que antes eram pensados apenas em vendas, para experiências de compras. E o melhor, oferecem inovação e são bem recebidas pelos consumidores. 

Sobre o Autor

Leandro Ratz, é responsável pelo sucesso dos clientes no ANYMARKET

Leandro tem experiência com varejo, e-commerce e marketplace, com atuação direta em grandes lojistas e como consultor de Marketplace para grandes marcas. Atualmente está no Anymarket, responsável pelas contas estratégicas na plataforma.

Formado em Gestão Comercial pela UNIFAJ – Faculdade de Jaguariúna, no interior de São Paulo, com especialização
em Omni Channel para o Varejo pela VTEX – The True Cloud Commerce Platform.

Compartilhe esse artigo:

Comentários

comentarios