Você já deve ter ouvido falar no Pix, o meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) que permite pagamentos instantâneos. No mundo, já existem 54 países que realizam pagamentos instantâneos (PI), e isso finalmente chegou ao Brasil! Porém, pode ser que essa novidade ainda esteja um pouco confusa até para o seu uso pessoal, imaginamos então para usar em seu e-commerce…

Meio de pagamento é coisa séria. Pode ser um grande fator de decisão na hora da compra, e também interfere nos momentos pós-compra, como por exemplo a conciliação financeira. Por isso, cada novidade deve ser muito bem estudada!

Hoje o ANY te explica melhor essa história, e qual será o impacto do Pix no e-commerce.

Pra começar, o que é o PIX?

Segundo o próprio Banco Central, o Pix é o pagamento instantâneo que transfere recursos entre contas em questão de segundos. Não tem limitações de horário ou dia (inclusive feriados), trazendo mais praticidade. Pode ser usado com conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga.

Além desses benefícios de velocidade, praticidade e segurança para o usuário, o Pix também promete um grande potencial de transformar o mercado.

Essas são algumas promessas do Pix para o mercado e a sociedade:

  • alavancar a competitividade e a eficiência do mercado;
  • baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes;
  • incentivar a eletronização do mercado de pagamentos de varejo;
  • promover a inclusão financeira; e
  • preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população.

Quando vamos poder usar o Pix?

O Banco Cenral anunciou o Pix no começo de agosto de 2020, mas o início da operação completa está previsto para 16 de novembro de 2020. Uma operação parcial será liberada dia 3 de novembro de 2020, em caráter de testes.

A partir de novembro, o Pix estará liberado para transações entre pessoas, estabelecimentos e entes governamentais. Que responsa!

O que será necessário para usar o Pix?

Para usar o Pix, não é necessário que a conta seja corrente. Basta que o pagador e o recebedor tenham uma conta em banco, instituição de pagamento ou fintech (como o Nubank). Vale conta de pagamento, poupança ou corrente.

Beleza, e a tal chave pix? Como funciona?

A chave Pix é a sua identificação como cliente. Ela pode ser:

  • Número de celular
  • E-mail
  • CPF
  • CNPJ

Pessoas físicas podem registrar até 5 chaves por conta, enquanto pessoas jurídicas podem registrar até 20.

Quer saber o que fazer com todas essas chaves no seu negócio? Vamos falar de e-commerce.

Pix no e-commerce: o que vem por aí?

Com o Pix, o Banco Central espera alavancar o processo de eletronização do varejo no Brasil, o que torna o mercado mais competitivo.

Falando em benefícios, os pagamentos instantâneos trazem uma evolução na experiência de pagamento dos usuários. É uma alternativa aos modelos tradicionais: TED, DOC, boleto, cheque e cartões.

Além de oferecer diversos meios de pagamento, é interessante que você como seller pense em disponibilizar várias formas do cliente pagar com o Pix.

Algumas formas de utilização do Pix no checkout:

  • Por meio das chaves cadastradas
  • Por meio de QR Code

 

Um terceiro meio de utilização é pelas tecnologias por aproximação, mas isso será mais proveitoso para o varejo físico, a não ser que você atue em omnichannel.

Os benefícios para os e-commerces

O Pix no e-commerce significa uma diminuição da quantidade de intermediários na cadeia de pagamentos. Isso leva a um custo menor, e uma otimização da sua gestão do fluxo de caixa. Assim, você precisará de menos crédito, e terá mais facilidade de automatizar e conciliar os pagamentos.  Tudo isso sem falar da rapidez de checkout.

Um outro benefício, ainda pouco comentado, é a diminuição dos casos de reserva de estoque. Espera-se que o consumidor escolha menos a opção de pagar por boleto, já que soa muito mais interessante ter a transação efetuada na mesma hora. Cerca de 50% dos boletos gerados não são pagos, e isso é estoque parado. Esperamos dar adeus a isso!

(Hey, os furos de estoque são uma dor nas suas vendas? Conheça funcionalidades que solucionam isso)

Lembrando que, para usar o Pix em seu e-commerce, você deverá ter uma conta em banco, instituição de pagamento ou fintech. As transações por Pix só serão possíveis se você e seu cliente possuírem contas.

Concluindo: checkout mais prático para o cliente, pós-venda tranquilo para você

Felizmente, o Pix no e-commerce significará um grande avanço para a experiência do consumidor, e também para a sua rotina como seller. Com essa ampliação do acesso da população ao consumo, você pode se preparar para um aumento considerável do público do e-commerce como um todo!

Com a chegada do Pix no e-commerce, você evitará vários problemas: estoque bloqueado pelo uso de boletos, baixa taxa de conversão entre pedido e venda, descasamento de fluxo de caixa, falta de eficiência no processo de devolução (o pix facilitará o fluxo de estorno/cancelamento) e complexidade de conciliação.

Estamos ansiosos para ver essa revolução acontecer no e-commerce e marketplaces! E você? Comente abaixo suas expectativas para o Pix no e-commerce 😊

Compartilhe esse artigo: