Blog

Principais dúvidas sobre integração com Marketplaces

25 de abril de 2016 | Nenhum comentário

Integrar com Marketplaces pode ser um processo confuso para os e-commerces devido à tecnologia envolvida em todo o processo e à dimensão de cada estrutura. Por isso, reunimos as principais dúvidas sobre integração com Marketplaces para você.

O que faz um módulo de integração (Hub)?

Essas ferramentas permitem que o lojista escolha quais dos seus produtos serão anunciados nos Marketplaces integrados e que atualize os dados sobre esses produtos diretamente da plataforma do seu e-commerce. Ao mesmo tempo, é possível fazer o caminho contrário. Se um produto do lojista está anunciando no Extra, mas ainda não está na sua própria loja virtual, ele pode importar as informações diretamente do Marketplace. Além de prático, esse processo otimiza a velocidade da venda, já que permite a rápida atualização dos produtos.

O que são sistemas de BackOffice ou ERP?

BackOffice é o núcleo de um sistema, as instruções que o próprio sistema gerencia e que não são atributos do usuário final. Possuindo tarefas específicas, o BackOffice coordena as atividades necessárias ao usuário, gerenciando as operações da loja virtual. O BackOffice possui tarefas específicas, coordena e gerencia atividades de um sistema e qualquer problema que venha a ocorrer no BackOffice pode prejudicar toda a estrutura do website do e-commerce.

ERP é a abreviação para o termo em inglês Enterprise Resource Planning, ou seja, sistemas de gestão empresarial. O ERP nada mais é que um sistema, um software, que integra todas as operações de uma empresa (como faturamento, balança contábil, compras, fluxo de caixa, estoque, contas a receber, etc.) em uma única plataforma para uma gestão mais eficiente e rápida.

O que preciso para realizar a integração?

Além de um bom sistema de BackOffice ou ERP, é necessário emitir Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e possuir uma quantidade mínima de SKUs. Entregar o pedido com a Nota Fiscal é de suma importância em um Marketplace. A NF-e é um documento com validade jurídica que legitima a compra quando possui a assinatura digital. Logo, é utilizada para evitar fraudes e dar segurança ao consumidor. Se você ainda não emite Nota Fiscal, procure a Secretaria da Fazenda no seu estado.

O SKU, do inglês Stock Keeping Unit, é o identificador único de cada tipo de produto, um código utilizado para controle de estoque. Alguns Marketplaces exigem uma quantidade mínima de SKUs, ou seja, uma quantidade mínima de tipos de produtos. Assim é possível garantir variedade suficiente para os consumidores.

Quanto custa para estar em um Marketplace?

Diferencia-se para cada Marketplace. Alguns Marketplaces cobram em custo por aquisição (CPA), onde o Marketplace cobra uma porcentagem sobre as vendas. A porcentagem sofre variação conforme o segmento, a atuação e o grau de abertura do Marketplace. Geralmente, a comissão vai de 3,5% a 30%. Outros Marketplaces também cobram em pagamento por clique, pagamento por anúncio e/ou mensalidade. Conforme o modelo de cobrança, é necessário avaliar o quão vantajoso é esse investimento para o seu e-commerce.

Ao fazer parte de um Marketplace, a sua loja virtual tem outras vantagens incluídas na taxa de comissionamento, como atendimento ao consumidor (SAC), sistemas antifraudes, gateaway, diversos meios de pagamento, proteção contra charge back e amplas campanhas de marketing.

Você já conhece o Hub mais flexível do mercado? Faça uma consultoria gratuita com o ANYMARKET.

CTA-MARKETPLACE-DEMONSTRACAO-ANYMARKET

Compartilhe esse artigo:

<<