O comércio eletrônico, como um todo, vem apresentando crescimentos constantes e amadurecimentos significativos. Dentre os países da América Latina que mais se destacam no setor, estão o Brasil e o México, evidenciando os maiores faturamentos anuais da região. Porém, uma nação que vem emergindo no mercado digital e tem atraído empresas brasileiras do segmento para investirem em seu varejo on-line é a Argentina.

Neste artigo, você vai conferir o potencial do comércio eletrônico argentino e entender como a sua empresa poderá contribuir para este crescimento.

Dados sobre o e-commerce argentino

Para você ter uma ideia deste potencial, atente-se aos dados! Segundo a CACE – Cámara Argentina de Comercio Electrónico -, o faturamento do setor de e-commerce na Argentina obteve um crescimento de 76% em 2019, compreendendo um valor de $ 403.278 milhões.

Ainda de acordo com as estimativas, 90% dos adultos argentinos conectados já fizeram compras on-line ao menos uma vez. Portanto, podemos visualizar um cenário bastante promissor e interessante para expandir os negócios.

O Coronavírus e seu impacto nas vendas

Um fato que não podemos desconsiderar é o impacto que todo o mercado mundial tem sofrido devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O momento exige que os negócios se reinventem e que atendam às novas demandas. Como consequência, os consumidores têm optado por fazer compras on-line.

Além disso, é válido destacar que muitos deles, inclusive, fizeram sua primeira compra virtual neste momento. Ao passo que os varejistas, que ainda não estão no digital, vêm percebendo a extrema importância de se remodelarem neste sentido.

Após a pandemia, ninguém será mais o mesmo, nem lojistas, nem consumidores. As transformações da sociedade, no que diz respeito aos avanços do mercado digital, já estavam acontecendo a passos largos. Porém, mediante o panorama atual, as mudanças passaram a ocorrer aceleradamente, exigindo que todos se reinventassem.

E, sem dúvidas, trabalhar com o comércio eletrônico está sendo uma boa maneira de atender às novas necessidades do consumidor, que precisou mudar todos os seus hábitos, praticamente, da noite para o dia, devido à pandemia e ao consequente isolamento social.

Logo, podemos constatar mais um motivo para você avistar novos horizontes e oportunidades, expandindo os seus negócios e investindo no comércio eletrônico argentino. A grande dica é não esperar os seus concorrentes fazerem, vá primeiro. Isso faz total diferença no mercado competitivo.

Como começar a vender na Argentina

A princípio, você pode firmar algumas parcerias na Argentina, desta maneira, o investimento inicial acaba não sendo tão grande e se torna interessante para você ir se inteirando em relação às particularidades do mercado. É muito importante que você conheça o seu funcionamento. Mas, não devemos esquecer que tudo parte de planejamento e pesquisas, a fim de que as melhores estratégias sejam traçadas.

O ANYMARKET e a Agência de performance digital M3 são grandes exemplos de empresas brasileiras relevantes no setor de e-commerce e que também atuam na Argentina. Ambas possuem filiais em Buenos Aires e já vêm se destacando com a realização de projetos para clientes de grande porte.

A primeira integração realizada pelo ANYMARKET, na Argentina, por exemplo, foi a Ferreira Sport – pioneira da região Bahia Blanca – com o Mercado Libre, cujo resultado foi excelente. E um dos clientes da Agência M3 em solo portenho é a marca Positivo argentina, que implantará o seu primeiro e-commerce e contará com os serviços da agência.

E como o Brasil é visto?

O Brasil, por ter sido o pioneiro no investimento do comércio eletrônico na América do Sul, possui bastante influência nos outros países do continente. Afinal, o e-commerce surgiu no país há 25 anos. Portanto, estamos falando de um mercado mais maduro em relação aos demais. Para ilustrar, vejamos os dados!

Segundo o relatório NeoTrust 2ª edição, o e-commerce brasileiro registrou um crescimento de 22,7% em 2019, comparado ao ano anterior, representando um faturamento de R$ 75,1 bilhões. E levando em consideração que o mercado digital tem se destacado significativamente nos últimos meses, os resultados deste ano também deverão ser bastante positivos. Lembre-se que junto com as ameaças, surgem novas oportunidades.

Pense na quantidade de empresas argentinas que desejam e precisam investir no varejo digital, principalmente em tempos de Coronavírus. E que, você, com seu extenso e robusto portfólio poderá oferecer um excelente serviço, devido à sua expertise e grande experiência no mercado brasileiro. Se antes, avançar para a Argentina já era promissor, agora, com a extrema necessidade do varejo se reconfigurar, as oportunidades só tendem a crescer.

Apesar de desafiador, a ousadia faz parte do exercício de empreender. Desde que o mundo é mundo, os riscos existem, você não deve deixar de considerá-los, mas eles não podem ser os únicos parâmetros para a decisão de um investimento. O mercado corporativo está cada vez mais competitivo, saber inovar, se sobressair e alçar novos voos é fundamental.

 

Sobre o autor:

Pablo Ribeiro é fundador e CEO da Agência M3, que está há mais de 6 anos no mercado trazendo soluções em performance digital através da implantação de e-commerces. Responsável pela equipe de vendas e relacionamentos da empresa. Já participou ativamente em mais de 90 projetos de implantações de lojas virtuais. E palestra em diversos eventos relevantes para o mercado de e-commerce, como o VTEX Day e as conferências do E-commerce Brasil

Compartilhe esse artigo: