Precificar um produto vai muito além do que um simples markup ou até, copiar os preços do concorrente.

Neste artigo, o pessoal do Preço Certo vai te mostrar tudo o que você precisa saber para formar os seus preços com segurança.

O que não deve ser feito

Abaixo, listamos alguns erros comuns que praticamente todo o varejo comete e que prejudicam a precificação de produtos.

Rateio de custos fixos

Ratear custos fixos é um erro amplamente divulgado na internet e que prejudica a sua competitividade e o seu lucro.

Se por acaso, você dilui custos fixos no seu preço de venda, qual seria a sua reação ao encontrar um concorrente que possui custos fixos bem menores que os seus, e vende o mesmo produto que você?

Perguntamos isso, porque no varejo é possível uma grande empresa, com uma folha salarial enorme, competir com um negócio que acabou de começar.

As barreiras de entrada são muito baixas.

E caso você dilua o seu custo fixo no seu preço, a sua margem de lucro ou competitividade pode estar comprometida.

Afinal, o que você vai fazer? Manter o preço de venda (reduzindo o seu lucro) ou aumentar o preço (perdendo competitividade)?

Neste vídeo, é possível entender um pouco mais sobre esse problema e como resolvê-lo.

Copiar preços da concorrência

Copiar preços da concorrência é outro erro que você não pode cometer.

Afinal, 89% dos negócios no varejo, precificam errado ou acreditam que possuem uma determinada margem de lucro, quando na verdade ela é bem menor.

Esse dado foi levantado pela equipe do Preço Certo, em uma pesquisa com mais de 10 mil lojistas e revela o seguinte:

O seu concorrente pode, muito provavelmente, estar vendendo no prejuízo.

Você copiaria o preço assim?

estratégias de precificação que podem te ajudar a contornar aquelas situações, onde o concorrente vende mais barato.

Não analisar as margens que a venda possui

Uma venda possui uma determinada margem de lucro, concorda?

Essa margem pode variar de acordo com o canal de venda, tributação ou até, uma oferta qualquer – a questão é que ela não é constante.

Como por exemplo, um determinado produto vendido na B2W e no Mercado Livre não possuem a mesma margem de lucro.

Tudo isso por conta das taxas da venda.

Logo, é importante analisar as margens reais de cada venda para entender a saúde das mesmas.

Como fazer uma precificação correta

Agora que nós entendemos alguns erros que não podemos cometer, precisamos entender tudo aquilo que uma precificação correta precisa ter.

Tributação

Você é MEI? Simples nacional? Lucro presumido? Ou Lucro real?

Entender a sua tributação é importante para saber o percentual do seu preço de venda que será pago em forma de imposto.

Como por exemplo, você vende um produto à R$100,00 e precisa pagar 6% de alíquota de imposto, por ser simples nacional.

Nesse processo, você já não vai poder contar com R$6,00 dessa venda.

Sendo necessário levar em consideração na sua formação de preços.

Logo, essa não é uma tarefa do seu contador.

Custos da Mercadoria

Esse é o fator que todos os empresários(as) não esquecem de levar em consideração.

Segue uma lista de custos da mercadoria que você não pode esquecer, na hora de precificar:

  • Preço do fornecedor;
  • Frete da compra;
  • Embalagem;
  • Custo de brinde (caso haja);
  • Mão de obra para confecção (opcional);

Para te ajudar no levantamento desses dados, você pode utilizar esta calculadora de custos de produto.

Custos da Venda

Os custos da venda fazem referência à toda taxa que surge, apenas quando a venda que é realizada.

Ou seja, taxas de marketplace, comissão de vendedor, taxa de cartões, possíveis antecipações, etc.

Como encontrar a margem de Lucro correta?

Agora que você já entende tudo que é preciso para formar o preço de um produto e também, o que não deve ser feito, te convidamos para conhecer a calculadora de preços do Preço Certo.

Com ela, você conseguirá calcular os preços dos seus produtos e encontrar a margem de lucro correta das suas vendas.

Compartilhe esse artigo: