Trabalhando de forma estratégica nos marketplaces: você pode ter controle sobre sua conversão! ?>

Trabalhando de forma estratégica nos marketplaces: você pode ter controle sobre sua conversão!

Hoje muito se fala em maneiras de otimizar as vendas do seu e-commerce e, com certeza, um dos temas mais abordados são os marketplaces.

Muitos e-commerce em estado emergente buscam os marketplaces como solução para salvar suas vendas na internet, outros já utilizam estes canais de venda como recurso para aumentar seu faturamento e otimizar sua margem, afinal o custo operacional de venda em um marketplace pode ser muito mais baixo do que na sua plataforma, em alguns casos.

Leia Mais… Leia Mais…

Dados do E-bit: avaliação 360º parcial de 2016 ?>

Dados do E-bit: avaliação 360º parcial de 2016

A Ebit, empresa especializada em publicar relatórios sobre o comércio eletrônico, publicou uma avaliação 360º parcial de 2016. Segundo dados o setor cresceu mais de 5% no primeiro semestre, um número superior ao crescimento do segundo semestre, que foi de aproximadamente 3%. Para 2017 a previsão é que o setor cresça de 10 a 15% e é provável que o cenário se repita, com um crescimento maior no primeiro semestre.

O ANYMARKET traz os principais destaques da avaliação do E-bit para que os lojistas consigam se planejar para o primeiro semestre de 2017.

Leia Mais… Leia Mais…

Planeje-se para não perder prazos de entrega no feriado de Carnaval ?>

Planeje-se para não perder prazos de entrega no feriado de Carnaval

Um dos maiores desafios para o e-commerce é o prazo de entrega. Podemos dizer que a logística é uma das áreas mais vitais para que as lojas eletrônicas consigam realizar a venda da maneira mais ágil possível, e agilidade é o que os compradores mais prezam quando decidem realizar suas compras online.

Enquanto aguarda o seu produto chegar o cliente fica com uma expectativa muito alta em relação à compra, adiantar uma entrega faz com que sua marca seja vista com ótimos olhos pelos clientes, porém não entregar no prazo pode fazer com que o cliente nunca mais volte a realizar compras na sua loja.

Leia Mais… Leia Mais…

Dia da saudade: como utilizar essa data para aumentar as vendas do seu e-commerce ?>

Dia da saudade: como utilizar essa data para aumentar as vendas do seu e-commerce

Depois da Black Friday e do Natal a tendência é que o começo de ano seja um pouco mais calmo no e-commerce, segundo dados da Ebit o primeiro período de grande faturamento para o comércio online é em março, no dia do consumidor.

No dia 30 de janeiro é comemorado o dia da saudade no Brasil, uma data que serve para recordar bons momentos e que é marcada pelo sentimento de nostalgia.

Talvez você possa pensar que muitas pessoas ainda não encarem essa data como um dia comemorativo ou aguardado, porém, como a palavra saudade tem um apelo muito forte na cultura brasileira, vemos essa como uma ótima oportunidade para dar um up nas vendas online do começo do ano.

Leia Mais… Leia Mais…

A importância do EAN no e-commerce ?>

A importância do EAN no e-commerce

Se você ainda não faz uso do EAN no e-commerce, é tempo de repensar suas estratégias e incorporar o número na realidade do seu negócio.

O EAN (European Article Number) são os 13 dígitos que formam o número do código de barras do produto e, ao contrário do que pode parecer à primeira vista, é algo de extrema relevância no universo do comércio eletrônico.

Além de ser essencial para lojistas, especialmente por ser requisito obrigatório no cadastro de produtos em alguns marketplaces, o EAN também traz grandes vantagens para a experiência de compra do consumidor – o que, consequentemente, reflete também no desempenho de vendas do e-commerce.

Legitimidade do produto

O EAN assegura a legitimidade de um produto, conferindo segurança tanto ao lojista quanto ao consumidor. A numeração é uma codificação universal que identifica dados como o país de origem, a empresa fabricante e o produto produzido.

Otimização da experiência de compra

Embora não seja sempre lembrado pelo consumidor, o número do código de barras pode ser um grande facilitador na hora de fechar um pedido – ele otimiza a experiência de compras, melhorando a busca e simplificando a comparação de itens.

Produtos similares são comuns em lojas virtuais, principalmente em grandes marketplaces. Com o cadastro do EAN, a busca por um produto específico torna-se muito mais simples. Utilizando o código do item desejado, o consumidor consegue encontrar apenas os objetos de interesse, sem se preocupar com possíveis enganos.

Diferenciar produtos, como, por exemplo, smartphones com configurações parecidas, também é feito de forma muito mais prática quando o consumidor pode comparar o número do EAN.

Aprovação mais ágil nos marketplaces

Nos marketplaces, além das vantagens já citadas, o EAN tem um benefício prático: com o cadastro do código, a aprovação do anúncio é feita com mais agilidade. O EAN permite que o produto seja associado a ofertas já cadastradas com mais facilidade, agilizando a validação e aumentando a relevância do anúncio.

No Walmart e nos marketplaces da B2W, o cadastro do EAN de cada produto é fundamental para que os anúncios sejam catalogados pelas equipes dos sites e tenham mais relevância dentro das plataformas.

Convencido da importância do EAN no e-commerce? Então, não deixe de disponibilizar este dado! Caso você não possua o EAN de algum de seus produtos, entre em contato com o fabricante.

Como preparar campanhas de volta às aulas no seu e-commerce ?>

Como preparar campanhas de volta às aulas no seu e-commerce

Enquanto muitos ainda curtem bons momentos de férias, outros já começam a pensar nos gastos extras que surgem no início de todo ano. Um desses gastos que não pode ser esquecido é a compra de materiais para a volta às aulas.

Com grande parte das escolas iniciando o ano letivo em fevereiro, janeiro é o momento perfeito para que lojistas comecem a trabalhar campanhas de volta às aulas. É nesta época que os pais começam a pesquisar preços para completar a lista exigida pelas instituições e, cada vez mais, a compra pela internet é uma escolha para o momento.

Segundo uma pesquisa feita pelo site Cupons Mágicos, em 2016 cerca de 36,2% dos brasileiros planejaram-se para fazer as compras de materiais escolares em lojas virtuais.

Quer impulsionar as vendas do seu e-commerce com campanhas de voltas às aulas? Confira algumas dicas e prepare seu planejamento!

Foco nos setores de Livros, Papelaria e Tecnologia

Neste momento, os setores que mais têm a ganhar são Livros, Papelaria e Tecnologia. Se você atua em algum destes segmentos, aproveite para trabalhar a venda de livros – especialmente os didáticos, teóricos e grandes clássicos da literatura -, artigos de papelaria em geral e dispositivos como notebooks, computadores, tablets e leitores digitais.

Outros setores também podem aproveitar o momento

Embora a demanda seja menor, outros setores do e-commerce também podem aproveitar o mês para fazer campanhas de volta às aulas. Quem atua dentro de Moda e Acessórios, por exemplo, pode trabalhar produtos como bolsas, mochilas e pastas. Já para os lojistas do segmento de Móveis e Decoração, o momento é apropriado para alavancar as vendas de escrivaninhas, cadeiras de escritório, estantes e organizadores.

Na dúvida se sua loja consegue ou não aproveitar a volta às aulas para trabalhar algum tipo de campanha, a dica é fazer uma análise cuidadosa de seu mix de produtos e tentar relacionar os itens com a rotina de estudantes.

Anuncie para os pais

Embora uma faixa de estudantes universitários faça suas próprias compras de materiais nesta época do ano, a maior parte das vendas é de produtos para uso de estudantes até o ensino médio. Afinal, além da maior quantidade de estudantes nesta fase escolar, as listas de materiais exigidos são mais pontuais.

Neste cenário, é importante que você se lembre de preparar as campanhas com foco em quem vai realizar as compras: os pais. Adeque a linguagem e tenha em mente que, para os pais, o fator decisivo na hora das compras de volta às aulas é o preço.

Atente-se aos prazos de entrega

Cuidado para não prometer prazos que não será capaz de cumprir! Assim como em muitas datas comemorativas, entregar as compras de volta às aulas no prazo é essencial – os estudantes não podem chegar ao primeiro dia de aula sem ter recebido os produtos. Portanto, verifique suas estratégias de logística para a época e deixe os prazos muito claros para o consumidor.

Que tal aproveitar mais datas especiais do ano para preparar campanhas incríveis e impulsionar suas vendas ao longo de 2017? Baixe já o nosso Calendário para E-commerce 2017 e saiba como se planejar!

cta-baixe-ja-o-calendario-para-ecommerce-2017

Vantagens dos marketplaces para pequenos lojistas virtuais ?>

Vantagens dos marketplaces para pequenos lojistas virtuais

Engana-se quem acredita que os marketplaces são uma alternativa que beneficia apenas grandes empresas de e-commerce. Pelo contrário: pequenos lojistas podem encontrar uma série de vantagens ao atuar nessas plataformas.

Embora seja um desafio para os pequenos empreendedores, atuar em um canal de grande visualização pode ser o diferencial para que a empresa conquiste espaço no mercado e comece a crescer.

A seguir, você conhece algumas das vantagens dos marketplaces para pequenas empresas e lojistas virtuais. Confira!

1. Estrutura pronta

Para começar, atuando em marketplaces os pequenos empreendedores de e-commerce não precisam se preocupar imediatamente com o desenvolvimento de uma plataforma própria. O marketplace vai oferecer uma estrutura completa, já testada e em pleno funcionamento para atender a todas as necessidades do lojista.

2. Aliar-se a uma marca reconhecida

Você tem o produto que o consumidor procura mas ele hesita em comprar por não conhecer a sua empresa? Os marketplaces acabam com esse problema. Essas plataformas já são gigantes do e-commerce e têm seus nomes reconhecidos e marcas consolidadas. Por serem empresas familiares para o consumidor online, as dúvidas relacionadas à segurança de compra são praticamente inexistentes.

3. Alcançar um maior número de clientes

Se os marketplaces são marcas consolidadas, é natural que eles atraiam um volume de clientes muito maior do que um pequeno lojista virtual atrairia em seu próprio site. Muitos consumidores começam a sua busca na hora de comprar online pelos marketplaces, o que aumenta as chances de venda.

Os marketplaces do grupo Cnova recebem mais de 13 milhões de visitas mensais, os do grupo B2W somam mais de 19 milhões e o Mercado Livre atrai, sozinho, mais de 27 milhões de visitantes por mês. Atuando nessas plataformas, seus produtos ficam expostos a todas essas pessoas; o que é, também, uma oportunidade de deixar a sua marca mais conhecida.

4. Otimizar recursos

Para pequenos lojistas, a otimização de recursos é uma vantagem arrebatadora nos marketplaces. Com a estrutura oferecida pelas plataformas, é possível otimizar recursos financeiros, de equipe e de tempo.

Trabalhando com um Hub de integração, como o Hub ANYMARKET, a otimização fica ainda mais marcante, com a automação de operações de estoque, precificação, cadastro de produtos e logística de vendas. Assim, uma equipe reduzida consegue dar conta de todas as atividades do negócio.

Conheça nossas funcionalidades e invista na otimização de vendas em marketplaces!

O futuro do e-commerce: expectativas e previsões para 2017 ?>

O futuro do e-commerce: expectativas e previsões para 2017

Você aproveitou a virada do ano para listar expectativas e previsões para 2017? O início de um novo ano inspira momentos de planejamento e expectativas otimistas para o que está por vir – na vida pessoal e no mundo dos negócios.

Para quem atua no comércio eletrônico as projeções são positivas. Para o futuro próximo do e-commerce, os especialistas e grandes empresas de pesquisa falam em crescimento constante, expansão da participação no mercado e aumento de faturamento.

Saiba quais são as principais expectativas e previsões para 2017 no e-commerce e prepare-se para aproveitar o ano!

1. O faturamento deve crescer 9,8%

Segundo uma pesquisa da Forrester Research encomendada pela Google, o e-commerce brasileiro terá crescimento constante até 2021. Até lá, 27 milhões de pessoas devem se tornar consumidores online e o faturamento chegará a quase R$ 85 bilhões.

Para 2017, a expectativa é que o faturamento do setor aumente 9,8%, atingindo a marca de R$ 51,8 bilhões em vendas.

2. Os segmentos de Vestuário e Alimento estão em ascensão

Neste ano e no próximo, segmentos que ainda estão se desenvolvendo no varejo online brasileiro devem se consolidar e ganhar destaque. Segundo a Google, as previsões para os segmentos de Vestuário e Alimentos são muito positivas: a cada quatro compras feitas online, uma será em um desses segmentos, em 2018.

Quem deseja aproveitar o momento para conseguir absorver a demanda, deve começar a se preparar já em 2017. Os lojistas de Vestuário e Alimentos devem investir em estrutura para as vendas e em formas de conquistar e fidelizar clientes, se sobressaindo frente à concorrência.

3. O crescimento do e-commerce é global

A tendência de crescimento no comércio eletrônico não é apenas brasileira: o mercado internacional também deve continuar crescendo em 2017. De acordo com projeções da eMarketer, o e-commerce dos Estados Unidos, o maior do mundo, deve fechar 2017 com um faturamento de US$ 440,4 bilhões.

4. O mobile commerce deve crescer pelo menos 50%

A empresa de pesquisa em tecnologia Gartner apurou que a receita gerada pelas compras via smartphones ou tablets deve crescer pelo menos 50% em 2017, nos Estados Unidos. Isso significa que mais de US$ 2 bilhões do faturamento será gerado pelo mobile commerce.

Se sua loja virtual ainda não está preparada para vender em dispositivos móveis, não perca a chance e invista em mobile commerce! Saiba mais sobre a tendência aqui.

Animado com as expectativas para o ano? Então prepare suas estratégias para ter um excelente desempenho em seu e-commerce em 2017!

Tendências para e-commerce 2017: chatbots ?>

Tendências para e-commerce 2017: chatbots

Mesmo em compras online, os consumidores gostam de sentir que estão fazendo negócio com pessoas. Por isso, atendimento de qualidade e prontidão na hora de resolver problemas e esclarecer dúvidas podem fazer a diferença na venda de um produto.

Nos últimos anos, os e-commerces têm aumentado o número de canais de comunicação para atender consumidores. Telefone, e-mail e Whatsapp já são formas comuns de atendimento, mas uma ferramenta que promete conquistar ainda mais espaço em 2017 é a de chatbots.

Embora os chatbots não sejam novidade no mundo do comércio eletrônico, o interesse neste tipo de ferramenta cresceu significativamente em 2016: segundo o Google Trends, o termo tornou-se mais relevante a partir de abril deste ano e tem se mantido como uma tendência geral.

tendencia-2017-chatbots

Se no passado os chatbots causavam hesitação, hoje, com o avanço tecnológico, seu uso é cada vez mais eficiente; um ótimo exemplo é a Siri, chatbot da Apple. Para 2017, a expectativa é que essas ferramentas cheguem a versões ainda mais otimizadas: segundo a CB Insights, o investimento de empresas de tecnologia no desenvolvimento de chatbots tem se expandido nos últimos meses.

Caracterizados especialmente por serem uma forma de interação automatizada que mimetiza uma conversa com humanos, os chatbots podem ajudar a poupar tempo e investimento em equipe – uma vantagem especialmente atraente para pequenos negócios.

No e-commerce, os chatbots são alternativas mais personalizadas e interativas do que os FAQs tradicionais. Além disso, essas ferramentas podem atender o consumidor a qualquer momento e em tempo real, seja dia ou noite, dia útil ou feriado.

Os chatbots podem ajudar a esclarecer dúvidas quanto ao processo de compra, formas de pagamento, produtos específicos, frete e entrega de forma rápida e simples, garantindo prontidão no atendimento e aumentando as chances de fechar uma venda.

Aplicando chatbots em seu e-commerce

Embora o avanço nas tecnologias de chatbots ainda sejam esperados, você já pode começar a estudar a aplicação desta tendência em seu e-commerce. Confira algumas dicas para usar chatbots em 2017:

1. Pesquise e teste ferramentas. Há várias formas de implementar chatbots ao seu e-commerce desde já. Pesquise ferramentas e faça testes para descobrir o que funciona melhor com seu modelo de negócio.

2. Guarde as conversas. A melhor maneira de fazer melhorias e deixar esse serviço cada vez melhor para o consumidor é avaliando o funcionamento. Salve todas as conversas para analisar possíveis erros e identificar soluções.

3. Na pós-venda, prefira atendentes reais. Embora os chatbots sejam alternativas eficientes para esclarecer dúvidas sobre um produto ou o processo de compra no pré-venda, apostar em atendentes reais para questões de pós-venda é mais indicado.

Saiba mais sobre tendências para e-commerce em 2017! Confira outros posts:

Case Pharma­packs: a campeã de vendas na Amazon Marketplace ?>

Case Pharma­packs: a campeã de vendas na Amazon Marketplace

A Amazon é uma das maiores empresas de varejo online do mundo. Nos países em que opera como marketplace, o poder de vendas é gigantesco e, frequentemente, o site é o primeiro destino de consumidores que buscam por todo tipo de produtos.

Por conta disso, o nível de concorrência é alto. Os sellers precisam estar constantemente buscando formas de otimizar estratégias, apostando em preços competitivos e produtos inovadores. Conseguir destaque neste ambiente é um enorme desafio; mas, o case Pharma­packs prova que a conquista é possível com as estratégias certas.

A Pharma­packs, empresa estadunidense que vende especialmente artigos de farmácia, encontrou a mina de ouro com as vendas em marketplaces. Hoje, além de manter seu próprio e-commerce, a empresa vende em várias destas plataformas – Amazon, eBay, Walmart e Overstock. A aposta tem dado resultados: enquanto o faturamento chegou a US$ 70 milhões em 2015, a expectativa para este ano é atingir, pelo menos, o dobro deste valor. Desse total, a maioria é fruto das vendas em marketplaces, sendo a Amazon responsável por cerca de 40%.

O bom desempenho não deixa de ser uma surpresa. A Pharma­packs vende produtos comuns, que podem ser encontrados facilmente em lojas físicas e em um bom número de lojistas virtuais. Para alcançar os números de sucesso, a empresa lançou mão de uma estratégia de vendas eficiente.

Estoque

Assim que começou a vender em marketplaces, a Pharma­packs entendeu que este era um negócio diferente do e-commerce próprio e com oportunidades distintas. A chance que a empresa resolveu abraçar foi a possibilidade de flexibilizar seu estoque.

Em vez de manter estocadas linhas de produtos completas, a Pharma­packs começou a disponibilizar para venda apenas os itens que seus fornecedores tinham em estoque. Com isso, a empresa minimiza custos com estocagem e trabalha com um mix de produtos variado.

Precificação

As estratégias para alcançar a buy box e chamar a atenção nos marketplaces foram cuidadosas. Os empreendedores da Pharma­packs investiram em estudar seus concorrentes nas plataformas, observar os rankings de produtos mais vendidos e testar diferentes estratégias de precificação.

Dessa forma, eles descobriram os caminhos que funcionam melhor para entrar na buy box e, mesmo assim, não sair no prejuízo por definir preços muito baixos.

Atendimento

Não é só o preço que importa na classificação de um anúncio na buy box: o atendimento e a avaliação dos consumidores também são levados em conta. Para lidar com essa demanda, a Pharma­packs investiu em uma equipe especializada: 16 pessoas se dedicam a atender os consumidores. Todos os contatos são respondidos em cerca de 24 horas e os atendentes cuidam com especial atenção de consumidores que avaliaram a loja com até três estrelas.

A combinação das estratégias tem gerado resultados incríveis para a empresa. Segundo informações divulgadas pela Inc. 5000, a empresa envia uma média de 570 mil pedidos todos os meses e, com apenas seis anos desde a fundação do negócio, o faturamento já deve ultrapassar os US$ 140 milhões em 2016.

Inspire-se no case Pharma­packs e invista em estratégias inteligentes para vender nos marketplaces! Baixe nosso e-book gratuito e comece já a melhorar seu desempenho!

23-fulfillment-diferenca-entre-sucesso-fracasso-marketplaces (1)